Sobre a Terapia Cognitivo Comportamental

A Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) é uma linha teórica da psicologia, utilizada na prática clínica, assim como outros modelos mais conhecidos como Psicanálise, Lacan, Yung, Gestalt. Teve início no início da década de 1960 com Aaron Beck que realizou sua primeira publicação Depression : Causes and tratament em 1967 e foi aceito como membro da  Association for Advancement of Behavior Terapy em 1986 após ser inclusa sua publicação “Cognição”.

Dez princípios que distinguem a TCC das demais linhas teóricas:

1- Avaliar as dificuldades do paciente à partir de 3 estruturas:

  • Identificar o pensamento
  • Fatores precipitantes
  • Hipóteses a respeito dos eventos chave do desenvolvimento e padrões constantes de   interpretação desses eventos que podem predispor o paciente ao sofrimento

2- Requer uma aliança terapêutica sólida para uma situação de aconselhamento, o afeto, a empatia, a atenção, o interesse genuíno e a confiança.
3- Enfatiza a colaboração e participação ativa do terapeuta e do paciente.
4- Orientada para os objetivos e focada na solução de problemas.

5- Enfatiza inicialmente o presente.

6- É educativa, tem como objetivo ensinar o paciente a ser o seu próprio terapeuta e enfatiza a prevenção de recaída.

7- Visa ser breve: de 12 a 24 sessões, mas pode ter variações para mais ou para menos.

8- As sessões são estruturadas, ou seja começo – meio – e fim, assim como o tratamento.

9- Ensina o paciente a identificar, avaliar e responder aos pensamentos e crenças disfuncionais através da descoberta guiada e juntos terapeuta e paciente investigam sua validade e utilidade.

10- Usa várias técnicas para mudar o pensamento, o afeto e o comportamento e resolução de problemas.

Modelo cognitivo:



Conforme entramos em contato com o real (nosso dia a dia e circunstâncias) temos pensamento(s) que nos faz ter emoção(es) e emitir comportamento(s). Ex.: você pensa e percebe que não emagreceu nada (você pensa: “emagrecer é difícil” que a faz sentir-se triste desanimado, frustrado e tem o comportamento de abrir um pacote de bolachas e comer). Ou muitas vezes emitimos um comportamento para comprovar o que pensamos, por exemplo: “emagrecer não é pra mim”, e assim você sempre deixa para depois qualquer atitude que lhe ajuda a emagrecer.

Como o pensamento é uma interpretação que fazemos da realidade que vivemos, não percebemos que estamos distorcendo o que nos atinge, ex.: você convive com uma pessoa que é magra e que come sem restrições, você pensa: “tudo que eu como me engorda”. Este pensamento fará você se sentir triste, derrotado e terá o comportamento de comer pensando “já que eu não emagreço mesmo vou comer”.

O tratamento fará você perceber esses pensamentos, sentimentos e consequentemente comportamentos inadequados com a alimentação.